×

Liliana Ferreira

Como escolher a base?

domingo, 15 de setembro de 2019
Quando trabalhava em perfumaria, um dos maiores pedidos pela parte de quem visitava era a escolha de uma base. Isto pode parecer fácil para alguns no entanto, com tantas marcas e dentro das marcas com tantas opções torna-se por vezes difícil.

Além disso, o facto de ser um dos itens de maquilhagem que mais tempo passa em contacto com a nossa pele, obriga a uma escolha "mais acertada" para que aguente mais tempo.

Para isso, mais do que a cor, é importante perceber o tipo de pele, as necessidades da pele e aquilo que gostamos de ver ao espelho.

Tipo e estado da pele

Na maior parte dos casos esta auto-avaliação é suficiente para eliminar logo umas quantas escolhas mas nem sempre é muito clara. Poderá ser complicado distinguir por vezes peles mistas a oleosas e desidratadas de peles secas: o desconforto está em ambas! Acontece que no caso das peles mistas a oleosas, a oleosidade acaba por aparecer nos dias mais quentes por exemplo. Além disso, é visível os poros mais dilatados na zona T (testa, nariz e queixo). Se tiverem isto e desconforto, é pele mista a oleosa mas desidratada (o meu caso). Se a vossa pele é seca, repuxa ao longo do dia e aguenta super bem sem reclamar óleos e texturas pesadas então aí sim, temos uma pele seca.

As peles secas estão normalmente também associadas às peles maduras, mas nem isto é linear e cada vez mais aparecem peles oleosas em idades maduras.

Em todos os casos, em caso de dúvida existem imensos locais com profissionais que vos podem ajudar a fazer este diagnóstico da vossa pele de uma forma rápida e eficaz.

Peles mistas a oleosas

No caso das peles oleosas (e mistas também...), não são recomendadas as bases oleosas e devem procurar alguma informação sobre oil free nas embalagens. Normalmente as marcas "apregoam" se as suas bases são livres de óleo ou não, ainda assim há casos que é muito difícil descobrir pelo que o melhor é fazer alguma pesquisa anteriormente.

Este tipo de peles deve "fugir" aos acabamentos luminosos, já que muitas das vezes acaba a luminosidade confundir-se com algum brilho associado à oleosidade. Deverão optar por bases com acabamento mate, daquelas que parece pó. A própria formulação destas bases muitas das vezes inclui ingredientes matificantes e que controlam o brilho ao longo do dia.

Peles secas

No caso das peles secas é um pouco o contrário. Na verdade, estas peles podem usar tudo o que querem e bem lhes apetece no entanto não irão certamente apreciar as bases mais mate, por causa do efeito de controlo de oleosidade que podem gerar algum desconforto. 

Peles maduras

Devem encontrar um equilíbrio entre a cobertura e o conforto. A base não deverá ser muito espessa, para não marcar as rugas e rídulas mas sim mais fluida. Uma vez que nestas idades a pele tem tendência a ficar mais baça, o melhor será optar por uma base luminosa que oferece sempre um acabamento natural e luminoso. Claro que mais uma vez depende de cada caso e sendo que agora aparecem mais peles maduras com tendência oleosa, aqui a parte da luminosidade deverá ser deixada de lado. O importante é ser uma base fluida e pouco espessa (leram meninas? A vossa mãe poderá não gostar de ver a mesma base que vocês usam na pele dela!)

Como escolher a cor?

Esta é daquelas dúvidas que digo sempre: só experimentando. A verdade é essa, a que pode parecer a nossa cor pode ser na realidade algo que nada tem a ver além que a nossa pele pode reagir com a base e esta ficar com uma tonalidade mais escura.

Como saber o meu subtom?

Certamente que já se depararam com esta nomenclatura, em especial com os lançamentos mais recentes de bases. Este é um dos fatores importantes da base, ou seja dentro dos claros, dos médios e dos escuros podemos ter vários subtons.
O nome e a distinção variam de marca para marca sendo os mais comuns C para cool/frio, N para Neutral/neutro e W para warm/quente (por exemplo, no caso da YSL é usado BD para Beige Doré que equivale a um Warm, B que equivale a um Neutral e um BR para Beige Rosé que equivale a um Cool). 

Alguns truques permitem ter uma ideia do subtom mais adequado e um deles é a forma como a nossa pele "reage ao sol" ou seja, como nos bronzeamos. 
  • subtom frio (cool):  peles que normalmente nunca se bronzeiam ficando vermelhas com a exposição solar. Além disso, as veias tem um aspeto levemente azulado ou arroxeado;
  • subtom neutro (neutral), peles que se bronzeiam ainda que com alguma dificuldade, tendo alguma tolerância ao sol
  • subtom quente (warm): peles com elevada tolerância ao sol que se bronzeiam com facilidade. As veias tem um aspeto mais azeitona/esverdeado.

Onde e como experimentar?

O melhor será experimentar 3 tons e ver quais se adaptam melhor ao nosso tom. Gosto de aplicar na zona do maxilar que é uma zona onde a cor e mais uniforme, sem rubor como as bochechas e que também dá para ver a diferença para o pescoço. 

Há quem goste de usar um tom mais escuro de base e que eu não recomendo de todo. No entanto se gostarem é preferível usar uma base mais fluida uma vez que será mais fácil de esbater e ser menos notória a diferença de tom. Além disso, em vez de mais escuros, podem ser utilizados pós bronzeadores em pontos estratégicos para dar a ilusão ótica de pele beijada pelo sol.

Além destes pequenos truques, há alguns sites que sugerem a base que vai melhor encontro ao vosso tom, ideal para quem tenta comprar online apenas ou se quiserem ir já com uma ideia aproximada:
  • na Ulta Beauty, o Shade Finders permite ter uma ideia da base e subtom. Além disso tem ainda um quiz que ajuda a perceber qual a base que se adequa às vossas preferências. Algumas das marcas comercializadas, temos também por cá em Portugal pelo que vale a pena a visita;
  • Findation, permite a correspondência entre bases de diferentes marcas. A base de dados é enorme e basta inserirem a marca, qual a base e o tom. Para resultados mais fidedignos, é possível adicionair mais bases e mais tons para encontrar o match perfeito;
  • Temptalia, um dos sites/blogs que sigo há mais tempo e onde recorro sempre que quero ver as swatches de algum produto. Com uma enorme base de dados tem também uma ferramenta de correspondência de cor de bases: Foundation Matrix. Aqui pode-se escolher a opção de encontrar correspondência entre bases ou responder a um quis (start from scratch) de forma a perceber qual o nosso tom;
  • em cada uma das marcas, é também possível ter uma ideia do tom. Algumas das marcas que tem disponível esta ferramenta são: Too Faced, Maybelline, Fenty Beauty, Shiseido.
Estes são alguns dos meus "truques" que apesar de simples penso que funcionam e que irão ajudar.

Deixo abaixo alguns exemplos de bases separados por tipos e estados de pele que espero que sejam úteis (tive apenas em consideração aquelas que é possível encontrar em espaços físicos, havendo tantas outras). Isto é também um espaço de partilha, pelo que, se tiverem algum truque que usem e funcione na hora de escolher por favor partilhem! 

Peles secas



Peles mistas a oleosas



Peles maduras




AFFILIATE: este post contém links de afiliados que quando efetuadas compras através dos mesmos, gera uma pequena comissão para o blog.
Quando trabalhava em perfumaria, um dos maiore…

Sem comentários: