×

Da escapadinha de alguns dias até Chaves, tive a oportunidade de visitar alguns locais ali perto mas do outro lado da fronteira, em Espanha. Claro que aproveitamos para tirar algumas fotos, sendo que até já viram alguns coordenados por cá.

Monterrei

Da parte da manhã, rumamos não muito cedo até Verín que ficava a cerca de 30km ou nem isso de Chaves. Um dos principais pontos de visita não muito longe dali e quase obrigatório é o Castelo de Monterrei. Facilmente visível a alguma distancia já que está erigido sobre uma colina, este foi mandado construir pelo primeiro rei de Portugal, D. Afonso Henriques, rapidamente passou a pertencer a Espanha. Este foi durante muito tempo um dos principais pontos estratégicos de defesa junto à fronteira. A visita é gratuita, havendo partes do castelo que foram aproveitadas para alojamento local e restauração. Vale a pena subir até a uma das torres de onde a vista é absolutamente espetacular. O melhor é deixar o carro junto ao ponto de turismo e subir até lá acima, pois o caminho após esse ponto é mais complicado de se fazer de carro.



Balnearios de Caldeliñas

Ainda na mesma região situa-se uma zona termal e dela faz parte o Balneário de Caldeliñas. Encerrado há cerca de 70 anos, era muito popular para tratamentos de pele, devido ao seu alto teor em flúor e bicarbonatos.  Aliás investigações tem vindo a ser feitas nesse sentido, de voltar a reabilitar e tornar este local funcional. Até lá, vale a pena a visita pela beleza do local.

 


Ainda da escapadinha a Chaves, houve um dos dias (que ainda estou a organizar as fotos e escrita) que decidi ir até Espanha. Já mostrei um dos coordenados que fiz em Caldileñas e agora é altura de mostrar o que levei a Monterrei. Bem este sítio é espectacular e dá vontade de tirar fotos a tudo, mas isto deixo para depois. Aqui levei algo simples e confortável mas que ao mesmo tempo fosse versátil porque o tempo estava um pouco instável: ora lá em cima estava muito vento e frio, ora estava imenso sol e calor.

Camisola de gola alta Primark | culottes H&M | carteira Furla | ténis Vans | óculos de sol Dolce & Gabbana | brincos: Hey Harper 
É raro por aqui falar de novos meses e delinear objetivos para cada um deles, no entanto Dezembro é diferente. É o último mês do ano, um mês mágico em que o Natal é talvez o ponto alto e como eu adoro o Natal! O espírito, as músicas que não importa quantas vezes as tenhamos ouvido, há sempre uma nova versão das tradicionais, até à comida e juntar amigos e família à mesa. E como gosto disto ! Presentes? Claro, faz parte... Tendo isto em conta reúne alguns miminhos para vos oferecer aqui pelo blog ou Instagram que terão de estar atentos para ver quando e como participarem. Quanto aos planos, vou tentar sobreviver a estas semanas loucas mas que apesar de tudo, nos fazem acreditar e ter esperança neste mundo e nas pessoas. Aproveito e deixo-vos alguns detalhes das decorações cá por casa.

O frio está de volta mas confesso que talvez tenha precipitado a levar roupa quente na mais recente escapadinha. O tempo estava suficientemente bom e não era preciso muita roupa quente, ainda assim quando fui até Verín, do outro lado da fronteira, não resisti a levar este casaco longo de pelo (falso). Até gostei das fotos, neste cenário outonal acho que as cores resultaram bem e agora sim, o frio mais a sério começa a sentir-se. E já repararam que algumas das peças são as que usei no último look? A diferença no casaco e na mala resulta por isso num novo coordenado.

jeans: Bershka | mala: Furla | óculos de sol: Dolce & Gabbana | botins: Cortefiel
 Chaves como muitos devem saber é uma cidade do norte de Portugal mas cuja história conta com vários séculos estando ligada até aos romanos. É precisamente daí que deriva o nome de quem por ali vive, os Flavienses derivando do seu nome em latim: Aquae Flaviae. Histórias à parte, esta é uma cidade com menos habitantes que porto ou Lisboa, mas mesmo assim cheia de vida. Não só durante o dia mas também à noite, vimos sempre alguém na rua a passear ou a tomar um copo nos vários bares espalhados pela cidade.


Durante esta estadia, foram vários os pontos que consegui visitar. Alguns mostram bem a passagem dos romanos pela cidade, como a ponte de Trajano que é talvez dos pontos mais conhecidos da cidade. As duas colunas com inscrições em latim, testemunham a sua construção durante o reinado do imperador Trajano e que dá assim nome à ponte. Num dos extremos da ponte, encontra-se a casa onde viveu o arquiteto Nadir Afonso, passando quase despercebido aos olhos dos demais mas para o qual alguém amavelmente nos chamou à atenção.


Entrada do Forte de São Francisco
Da história e locais a visitar fazem ainda parte o largo de Camões, que se supõe que fosse esse o local do fórum em tempos de romanos e ainda a Rua Direita. Aliás é no largo de Camões que se situa o Museu da Região Flaviense (Paço dos Duques de Bragança) para quem quiser ver mais artigos e conhecer historia mais de perto. Na mesma praça está a Igreja Matriz, o edifício da Câmara Municipal, Igreja da Misericórdia. Não muito longe encontramos o Castelo de Chaves e também um Pelourinho. Além destes locais, existem ainda várias fortificações espalhadas pela cidade e muitas reabilitadas e transformadas em hotéis e restauração. É o caso do Forte de S. Francisco e Forte de São Neutel. 

Além dos vários pontos de atração turística, muitos são os edifícios onde se situam serviços como os CTT por exemplo ou até escolas que captam a nossa atenção.


Vidago

Quem vem de sul, há uma outra paragem obrigatória nem que seja para apreciar por momentos a beleza daquele local. Além de Chaves, todas as zonas envolventes são conhecidas pelas suas termas desde há vários anos, podendo encontrar nomes conhecidos como Carvalhelhos ou Pedras Salgadas. Um dos locais muito conhecidos por esta mesma razão é Vidago, onde é possível ver vários edifícios de outros tempos, quase como palácios (infelizmente alguns muito degradados). Um dos locais mais conhecidos é hoje em dia um hotel, mas com um jardim cheio de cantos e recantos que nos fazem suspirar em cada um dos detalhes. Acho que o outono tornou-o mais belo ainda com as suas cores e acho que um dia terei de experienciar uma noite naquele hotel que parece ter saído dos contos de fadas.