Sevilha em 3 dias

Plaza de España Foi um acaso que me levou este ano, em vésperas de Semana Santa a Sevilha. Da cidade, pouco sabia e fui vendo umas fotos no instagram mas uma ex-colega (daquelas que acabam por se tornar amigas) foi para lá trabalhar e foi a "desculpa" perfeita para visitar a cidade. 5 pessoas juntaram-se e em cerca de 6 horas estavamos em Sevilha.
Por lá, partilhamos um AirBNB, ainda na zona de Triana, que apesar de ser muito perto do centro, conseguia ser sossegado.

Dia 1: Giralda, Real Alcazár & Setas de Sevilha

A Catedral de Sevilha e a Giralda são dois dos edifícios que é impossível ficar indiferente. A Catedral de Sevilha é uma das maiores catedrais do mundo (atrás da Basílica de Nossa Senhora Aparecida, no Brasil, e tendo em conta que a Basílica de São Pedro, no Vaticano, não é uma igreja catedral), sendo ainda assim a maior catedral gótica do mundo. A Giralda é a torre de 104,1m sendo um ponto visível de vários pontos de  Sevilha.
Giralda
Giralda, torre sineira de 104,1m da Catedral de Sevilha
Catedral de Sevilha Catedral de SevilhaCatedral de Sevilha Catedral de Sevilha
Queríamos visitar o Real Alcazár de Sevilla e este era um dos pontos que sabíamos de antemão. A sua construção data dos tempos da conquista de Sevilha pelos árabes em 713 sendo que posteriormente em 1364 foi reedificado por Pedro I "o Cruel", misturando arte árabe e cristã também devido às sucessivas intervenções.

Real Alcazár
Fãs de Game of Thrones, lembrar-se-ão dos jardins de Drone que são na realidade os jardins deste palácio. Tanto jardins como o complexo do palácio assentam num estilo tipicamente hispânico,mudéjar. Aconselho a comprar o bilhete online e assim evitar as filas. Podem ver diretamente no site do Real Alcazar de Sevilla, incluindo informação sobre algumas promoções para estudantes, horários gratuitos à segunda-feira e para residentes. Real Alcázar de Sevilha Real Alcázar de Sevilla Real Alcazár interior
Real Alcazár Real Alcazár Sevilla
Real Alcázar de Sevilla
Jardins de Alcazár Jardins de Alcazár
Jardins Alcazar

Ainda no primeiro dia e após o almoço tardio fomos em direção à zona da praça La Encarnación, na zona antiga de Sevilha para ver o Metropol Parasol. A enorme estrutura de madeira foi desenhada pelo arquiteto alemão Jürgen Mayer-Hermann, tendo acabado por ficar conhecida como Setas de Sevilha devido ao seu formato de cogumelo.Setas de Sevilla
No cimo da estrutura, tem um miradouro com uma vista panorâmica sobre toda a cidade, com um pequeno percurso. Por apenas 5€ foi possível subir e usufruir desta vista única sobre a cidade. Não compramos bilhetes online e a fila não era assim tão longa. Há vários eventos com luzes ou ao entardecer, podem ver tudo no site aqui, onde também é possível comprar bilhetes online se preferirem.
Metropol Parasol

Dia 2: Plaza de España, Parque de María Luísa & Calles de Sevilha

No segundo dia, saímos da zona do centro de Sevilha para irmos almoçar a um restaurante mais fora da cidade. Para isso apanhamos um autocarro até San Lázaro e no regresso fizemos o percurso a pé até à Plaza de España. Plaza de España

Plaza de España
Plaza de España Seville Plaza de España Seville
Parque María Luísa Pelo caminho e uma vez que foi longa a distância percorrida, passamos a várias igrejas e edificios. Sevilha encanta sempre ao virar de cada esquina. Calles de Sevilla
Santa Cruz Calles de Sevilla

Dia 3: Domingo de Ramos

O dia da partida da cidade, coincidiu com o domingo de Ramos. Para quem não conhece, este é no fim de semana que antecede a Páscoa, representando a entrada de Jesus Cristo em Jerusalém. Ora não será de admirar que este é um dos dias com mais movimento pela cidade, certo? Neste dia, era frequente ver homens de fato e senhoras de vestidos, saltos e cabelos arranjados, tudo muito formal. É um dia já com bastante movimento, já estando o trânsito completamennte cortado, inclusivé em alguns locais já não é permitido passar a pé.

Restaurantes e onde comer?

Em resumo, em Sevilha come-se muito bem. Em todos os restaurantes as experiências apesar de diferentes, foram sempre únicas: mais calmo ou mais movimentado, mais animado ou mais low profile. Abaixo algumas sugestões.

Bar Pelayo

Muito próximo da Catedral e do Real Alcazár de Sevilla, este é um bar com as típicas tapas. Na decoração encontramos o típico jamón ibérico pendurado, onde divide espaço com outros elementos mais vintage: cadeiras, mesas e fotografias a preto e branco. Impossível também não destacar a enorme janela, aberta que torna toda a experiência muito mais agradável. As tapas favoritas foram os Huevos estrellados con jamón (ovos rotos) e as tapas de queijos: Queso de cabra horneado con mermelada de pimientos e Camembert frito con crema de membrillo. Não fizemos marcação, no entanto é um espaço muito movimentado devido à sua localização central.
Bar Pelayo Sevilla Bar Pelayo Sevilla
Bar Pelayo
Tapas Pelayo Bar

Seis Tapas Bar

Localizado na Plaza Nueva, este é um espaço muito instagramável, com uma decoração muito bonita e moderna. A comida, desengane-se quem pensa que são as tradicionais tapas de Espanha. São sim, tapas com um toque asiático, quase como cozinha de fusão mas ainda assim para partilhar entre mesas de amigos.
A nossa tapa favorita foi Pollo Yakitori con trigo bulgur salteado y salsa de aj, frango com um molho quase como agridoce, muito original.
Este é um espaço muito frequentado, pelo que é recomendável fazer reserva.
Seis Tapas Bar Seis Tapas Bar

El Arepazo

Um restaurante venezuelano, já um pouco fora do centro na zona da Macarena. Fomos de autocarro (saída em San Lázaro) e regressamos ao centro a pé. Ficamos pelo exterior e ainda que a decoração não pareça prometer muito, a comida é fantástica. Um must go para quem adora comida venezuelana. Como em Portugal é frequente encontrarmos Arepas, optamos por outras escolhas, como Patacones e Cachapas (para quem não conhece, uma espécie de panqueca mas feita com milho com queijo). Claro que não puderam faltar os Tequeños. Tudo ótimo e se não conhecem vale super a pena experimentar!El Arepazo Sevilla
El Arepazo El Arepazo

El Rinconcillo

El Rinconcillo foi o local que escolhemos para jantar no segundo dia. Próximo das setas de Sevilla, este é um restaurante tradicional com muita procura pelo que é recomendável fazer reserva. As tapas aqui são maravilhosas, sendo muito fácil travar alguma conversa com os funncionários também. El Rinconcillo

Bodega Santa Cruz Las Columnas

O escolhido do almoço rápido no último dia, antes do regresso. Um local em pleno Dominngo de Ramos, onde era impossível encontrar um lugar, sequer para pousar os pratos. Esperamos um pouco até alguma mesa ficar livre e pedimos pringás. Adorei a de carne mechada, e apesar de tanta gente foram relativamente rápidos, tendo havido apenas uma pequena troca de pedido. Prengás





Enviar um comentário